Todos sabem que realizar um casamento custa muito. Afinal, precisa alugar o local, comprar o vestido de noiva e o traje do noivo, arranjar as lembrancinhas, se tiver festa precisa de comida, bebida, DJ, etc. Com a pandemia, a situação financeira da população ficou mais complicada ainda.  Por isso, confira algumas dicas práticas de como economizar no casamento.

Noivos se beijando enquanto jogam pétalas de flores neles.
Desde os pequenos detalhes aos grandes, você consegue economizar e deixar seu dia dos sonhos mais acessível para os dois. (Reprodução/Unsplash)

Dicas para gastar menos no seu casamento

1- Veja como estão as finanças

Primeiramente, é necessário fazer um planejamento detalhado. Sobre como estão suas finanças atualmente, com o que você gasta todos os dias, o mesmo vale para seu noivo. Além disso, ver como estão com dividas.

Então, criar uma conta separada para depositarem dinheiro especialmente para o casamento, de maneira que não mexam nele. Defina uma porcentagem que cada um consegue tirar mensalmente sem afetar realmente. Bem como, quanto pretendem gastar no casamento; qual o  orçamento limite.

Ademais, ver se seus familiares e amigos podem contribuir, visto que mesmo que não seja obrigação deles, é comum que os mais próximos tentem ajudar.

Em seguida, estabeleça as prioridades de onde seu dinheiro pode ir no casamento. Pense o que no casamento não pode faltar. Para alguns, a festa é dispensável e preferem usar o dinheiro para a lua de mel. Para outros, a festa é essencial, mas a banda ao vivo é dispensável.

Colocando aliança no dedo da noiva.
Uma prioridade com certeza é ter uma aliança de qualidade, que durará a vida toda, e de preço justo. Aqui na Altar, você consegue personalizar sua aliança, de modo que consegue reduzir os custos dela ao mesmo tempo que a torna única. Clique aqui para ver nosso catálogo ou clique no botão do Whatsapp para falar conosco. (Reprodução/Unsplash)

2- Contrate uma assessoria

Pode parecer irônico em uma lista de economizar estar falando sobre contratar alguém. Porém, quem trabalha com assessoria de casamentos já tem muitos contatos, isto é, conhece mais pessoas e possibilidades do meio que você. Desse modo, você passa qual seu orçamento limite e a assessoria cuida de encontrar os fornecedores que caibam nele.

Outro ponto, é que estão mais acostumados em identificar prioridades para o tipo de cerimônia que vocês decidirem. Gerando menos estresse para o casal.

3- Defina os convidados

Se seu foco é economizar, deveria considerar reduzir o número de convidados. Priorizando os que realmente você quer lembrar no seu dia especial. Pois, envolve o custo dos convites, das lembrancinhas, da comida, do assento, etc.

Com uma festa mais intimista, você consegue mais proximidade com cada um, economiza nos gastos e ainda garante o cumprimentos das restrições da pandemia. Por esse motivos, os “mini-wedddings”, com em média de 100 convidados, estão se tornando mais famosos.

Noivos se beijando e os convidados levantando as taças de champanhe em volta.
Temos um artigo explicando como montar um mini-wedding perfeito, clique aqui para conferir. (Reprodução/Unsplash)

4- Decida o lugar

Outro passo importante, é decidir o local. Porque cada lugar tem um preço diferente. Em geral, quando você precisa montar a estrutura sai mais caro, como em praias. Enquanto, em um salão de festa, por exemplo, já tem a maioria do que você precisa, não precisando contratar mais pessoas e transporte ou precisando se preocupar com a chuva.

5- Escolha a data

Ao ter uma ideia de que tipo de lugar quer, escolha a data que o casamento irá acontecer. Tanto em relação ao dia da semana (sexta-feira, finais de semana e feriados são mais caros, pela maior procura), quanto a época do ano.

Datas comemorativas são mais caras, não só o espaço em si, mas outros aspectos. Exemplo disso, no final de ano que tem Natal e Ano Novo, não são só os espaços de festa que saem mais caros, como também tudo que envolve eventos, como buffet, fotógrafos, etc.

Noivos se casando ao ar livre, convidados sentados nas cadeiras assistindo.
Outras datas caras são: mês das noivas (maio), primavera (setembro), férias. (Reprodução/Unsplash)

6- Monte um cardápio simples

Por fim, pense nos detalhes que fazem um casamento.  Dado que é possível economizar neles também. Para começar, no cardápio, está sendo tendência ter “finger food“, que seriam petiscos, como salgadinhos, os quais costumam ser mais baratos do que alguns mais elaborados. Assim como, na sobremesa servir brigadeiro e beijinho, que são mais baratos e fáceis de se encomendar.

Outros detalhes que entram nessa lógica, são a quantidade de convites (é melhor fazer um para a família do que individual), menu nas mesas (limite a um menu por mesa), entre outros.

7- Fique atenta as promoções

Por fim, considerando que você seguiu o primeiro passo de se planejar com antecedência, acompanhe as promoções. Desde o vestido de noiva as decorações. Isso em qualquer lugar, se precisar ir em bazar, brechó (que costumam ter móveis que você pode usar), locais mais baratos da cidade.

Convites de casamento dentro de uma bandeja transparente em cima da mesa.
Siga páginas no Instagram, procure em sites, peça indicações a conhecidos que se casaram. (Reprodução/Unsplash)

Em conclusão, existem vários detalhes que te ajudam a economizar no casamento. Contudo, isso não significa que precisa seguir exatamente todas elas, pois, podem ter aspectos que você considere que valham a pena gastar mais para tornar seu dia mais memorável ainda. Enfim, me conte nos comentários o que achou das dicas e qual você pretende colocar em prática.

Deixe uma resposta